APRENDENDO A NÃO SE COMPARAR COM OS OUTROS PARA SER MAIS FELIZ

Aprendendo a não se comparar com os outros para ser mais feliz

 

“Ninguém pode fazê-lo se sentir inferior sem o seu consentimento”. (Eleanor Roosevelt)

 

Acho que todos nós sem exceção, em algum momento da vida, já fizemos comparações de nós mesmos com outras pessoas. Essas comparações tentavam equiparar o jeito de ser, a maneira de vestir, a beleza, a inteligência… Mas também estou certa que, na maioria das vezes que fizemos isso nos sentimos inferiores pois geralmente costumamos comparar algo de nós mesmos com algo que gostaríamos de ser ou admiramos em alguém. É aquele cabelo de celebridade que vemos e dizemos : -Será que o meu é tão bonito quanto? Até aí nada de mal. O ruim é quando esquecemos quem somos ou pior, nunca descobrimos e ficamos naquele afã eterno de ser alguém construído a partir de retalhos de outros seres humanos.

Há pessoas que  chegam a investir tempo e dinheiro para ser alguém perfeito e perdem a identidade, a qual fica submersa num mundo vazio e fútil de sempre querer parecer mais bela, mais perfeita, mais tudo aos olhos humanos. É aí que a comparação pode ser nociva, quando ela nos faz perder-nos de nós mesmos.

Mas a comparação sempre é negativa?

Não, claro que não e aí é que entra você como maquinista dessa locomotiva. Comparar-se a fim de tentar melhorar de forma sadia é um bom exercício. Exemplo: Você vê que não está tão bem em Matemática e começa a se comparar com o nerd da sala e percebe que está mal rsrs, mas isso, ao invés de fazê-lo se sentir inferior, acrescenta força de vontade e entusiasmo de superar essa dificuldade e conseguir quem sabe, superar aquele que você admira. Nesse caso, a comparação foi apenas uma válvula de mudança, uma oportunidade. É você quem vai decidir se é inferior ou não.

Se formos analisar ninguém é inferior a ninguém, pois cada um possui um tipo de inteligência. Howard Gardner, psicólogo norte-americano, que desenvolveu a teoria das inteligências múltiplas, listou oito inteligências: a inteligência musical, a inteligência espacial, a inteligência interpessoal, a inteligência intrapessoal, a inteligência corporal, a inteligência lógica, inteligência naturalista e inteligência linguística. Fatores como a genética e o ambiente são determinantes para o surgimento e/ou desenvolvimento de algumas inteligências. Dificilmente um indivíduo, segundo Gardner terá todas as inteligências, mas sem querer me aprofundar aqui nessa teoria , o que quero dizer com essa breve apresentação dela, é que cada ser humano tem sua especialidade, mas ela precisa ser descoberta e desenvolvida, por isso nada de achar inferior a ninguém, pois isso não existe, o que existe são habilidades diferentes e que se não forem reconhecidas e trabalhadas, podem muito bem passarem despercebidas. Essa é a importância de descobrir a si mesmo, compreender-se, saber o que você gosta, o que faz de melhor. Com isso em mãos, comparar-se com outros vai ser cada vez mais uma oportunidade de melhorar e não de se por como vítima da sociedade.

Descobrindo os seus pontos fortes

Ser mais seguro de si e saber o que você faz de melhor são coisas de grande valia para não perder tempo com comparações inúteis. Mas como descobrir os meus pontos fortes? Minhas dicas são as seguintes:

1 – Pergunte aos melhores amigos e à sua mãe

Mãe conhece a gente não é mesmo? E se eu tivesse ouvido a minha desde o início, nossa! Quanta coisa diferente eu teria feito profissionalmente falando e sabe por quê? Por ela sempre acreditava em mim quando eu achava que não conseguiria fazer algo, mas muitas vezes preferi ficar com aminha opinião destruidora. Os amigos mais chegados também conseguirão ver aquilo que você faz de melhor. Quem está de fora ver mais detalhes. Mas não saia perguntando pra todo mundo ok? Há muita gente má e invejosa no mundo, portanto escolha os amigos certos e se você for contar acho que vão caber todos na mão direita e ainda sobrarão dedos, mas nesse caso qualidade e melhor que quantidade.

 

2 – Crie uma lista de habilidades

Faça você mesmo uma lista de habilidades de julga possuir e depois compare com o feedback da pesquisa do item anterior.  Um exemplo de características que você pode considerar são: criatividade, resiliência, coragem, pro-atividade…

3 – Veja quais são os seus pontos fracos

Os pontos fracos podem impedir que desenvolvamos com mais destreza as nossas habilidade e isso porque, dependendo da fraqueza, ela pode minar a sua determinação. Um exemplo disso é uma pessoa que escreve muito bem e tem vergonha de mostrar os seus textos porque acha que não são bons o suficiente. Na prática temos o caso da autora da série de livros Harry Potter, que engavetou por muitos anos os seus escritos por acreditar que eram bobos demais para serem um sucesso. Essa fraqueza adiou muito o seu êxito.

4 – Busque e tema a Deus

Qual é o homem que teme ao Senhor? Este lhe ensinará o caminho que deve escolher. Salmos 25:12

Deus é chave de tudo. Salomão em Provérbios, escreveu que tudo começa com o Eterno, Ele é a chave de tudo e todo conhecimento e entendimento vem dele. (Provérbios 1:7) Quantas vezes eu não compreendia coisas que me pareciam difíceis e sei que foi Deus que me deu o esclarecimento para entende-las. Nem todos acreditam que Deus é o Senhor de toda a Terra e Universo, mas poderiam tentar conhece-lo antes de desprezá-lo. Ele sempre está disposto a ajudar quem o busca e a ele pertence toda a sabedoria.

 

Agora é hora de praticar!

Toda vez que a tentação de se comparar com alguém no sentido de se sentir inferior bater à sua porta, lembre-se: se for para se comparar que seja para construir e não para destruir a si próprio. Como fazer isso? É só reconhecer o seu valor , buscar conhecer a si mesmo saber quais inteligências você possui, identificar os seus pontos fortes para usá-los ao seu favor, identificar também os pontos fracos e ver quais te impedem de crescer e por fim (na verdade esse deve ser o primeiro) buscar e temer a Deus, pois Ele é quem nos conhece melhor do que nós mesmos e pode nos ajudar imensamente nessa construção  e descoberta de nós mesmos.

Tenham um dia feliz, produtivo e abençoado!

Palavra do dia: A negligência mata, a arrogância leva à destruição. Provérbios 1: 32 b

4 Comments

  • Reply Princesas Do Rei maio 3, 2016 at 9:33 pm

    Sofri muito por me sentir inferior na minha adolescência, Graças a Deus e aos meus pais que sempre me deram apoio, fui vencendo a cada dia!
    Infelizmente, muitas jovens e até mesmo crianças se sentem menores do que o outro por uma simples dificuldade que o mesmo possuem.
    Amei o post!
    Que Deus continue abençoando a sua vida!

  • Reply Daniele Leite maio 3, 2016 at 11:54 pm

    Também já passei por isso. Vivia me comparando e recordo bem que não levava a um resultado bom. O negócio é cultivar de forma saudável a sua autoestima, valorizar quem você é e buscar a Deus para conseguir ter uma visão clara de si mesma.
    Nesse meio consumista que vivemos as crianças estão sendo alvos das consequências más das comparações. Os pais devem ficar atentos para que possam crescer adultos saudáveis psicologicamente.
    Fico muito feliz que tenha gostado do post.
    Deus continue abençoando você e sua irmã!!!
    Bjos!!

  • Reply Karol Menezes maio 4, 2016 at 1:56 am

    Adorei o post. As vezes eu acabo me comparando com os outros, me sentindo inferior ou como se eu não fosse o suficiente. Eu preciso parar com isso urgentemente, eu sou suficiente do jeito que eu sou. Todas nós somos!

    http://karolmennezes.blogspot.com.br

    • Reply Daniele Leite maio 4, 2016 at 2:31 pm

      É sim Karol, quando a tentação de se comprara chegar atormentando nossa mente, devemos lembrar que temos o nosso valor, porque cada ser humano é singular e cheio de habilidades e belezas que às vezes só precisam ser descobertas. Eu já sofri muito com isso, mas graças a Deus hoje eu superei. 🙂

    Deixe aqui o seu comentário e se tiver um blog deixe também o link para eu poder visitá-lo.