SER BOM NÃO É SER BESTA

SER BOM NÃO É SER BESTA

Lembro que a primeira vez que ouvi essa frase foi numa aula de escola dominical, há muito anos (uns dez, aproximadamente). Meu professor se chamava Francisco e foi o melhor professor de EBD(Escola Bíblica Dominical) que já tive.

Super organizado e prestativo,  nos orientou a não deixarmos que abusassem da nossa boa vontade. Mas quando é que ser bonzinho é fazer papel de besta? E como ser legal, sem ser idiota e acabar nas mãos de aproveitadores. Vamos ver agora!

Senta , que lá vem história

Vou começar com uma história, amo contar histórias e então vamos lá. Quando eu era pré-adolescente eu não tinha amigas nas escola e gente quando digo que não tinha, não tinha mesmo, nenhuma.

Tinha aquelas coleguinhas de conversar na hora do intervalo, mas ainda assim elas me trocavam por qualquer outra amizade e isso porque eu era a mais nova da turma, dois anos mais nova que a média, portanto, enquanto todas as garotas queriam namorar, eu estava ainda brincando de bonecas e não tinha lugar pra mim no grupo.

A prova de matemática

Mas eu era muito boa em matemática na época , portanto, nas vésperas das prova eu ganhava um milhão de amigas. As meninas vinham falar comigo, até andavam comigo, eu só vi que era interesse quando acabou o primeiro bimestre. A falsidade era tão grande gente que havia uma garota na sala, que por questões éticas não direi o nome, que conhecia minha família, morava perto da minha casa, mas não falava comigo.

Um belo um dia ela precisou de aulas de matemática e então bateu à porta da minha casa para pedir pra estudarmos juntas e eu toda contente achando que ela queria ser minha amiga recebi-a de braços abertos. Estudamos, a prova passou ela tirou nota boa , mas depois, na escola nem olhava na minha cara. Eu chegava perto do grupo do qual ela fazia parte e todos  fingiam que não existia.

Recebi uma dura advertência da minha mãe que disse que ela só queria se aproveitar do que eu sabia e nunca seria minha amiga. Minha mãe estava certa, ela nunca foi minha amiga. Esse é um tipo de situação em que eu fui feita de besta.

Nada demais ajudar quem precisa de aula de matemática, mas daí gente alguém pedir sua ajuda e depois fingir que você não existe? Vamos ser legais, mas não sejamos idiotas.  Resolvi enumerar aqui algumas coisinhas que para refletirmos sobre esse assunto, para que possamos ser legais, mas sem sermos bestas, porque vou te dizer, o que há de gente folgada e aproveitadora nesse mundo nesse mundo não tá no gibi.

1 – Saiba dizer não

Saber dizer não te livra de um monte de dor de cabeça. Quem nunca assumiu um compromisso no trabalho, que não era sua incumbência ( mas era trabalho de outra pessoa) que sabia que ia ser penoso cumprir, mas o fez porque ficou com receio de dizer não e quis ser legal com o chefe? Ou ainda porque ficou com dó da pessoa que tinha que fazer esse trabalho e viu que era muita coisa para tal pessoa?  Eu já.

Tempos depois sabe o que ocorreu? Não reconheceram meu trabalho e ainda me deram mais trabalho para fazer e eu não consegui fazer o meu próprio porque estava atolada com as obrigações de outras pessoas.

Faça o essencial, ajude quando ver que realmente pode, mas não sacrifique suas prioridades só para agradar a alguém. Saber dizer não pode mudar muito a sua vida. Claro que há exceções e situações extraordinárias que a gente faz um esforço, mas não queira abraçar o mundo  ser o bonzinho, não dá.

Sabemos que é impossível agradar a todo mundo e quando cedemos aos caprichos dos outros ou pior quando fazemos o trabalho dos outros, sendo que eles podem muito bem cumprir com suas tarefas, sacrificamos a nós mesmos e deixamos de lado as nossas necessidades. O reconhecimento, não vêm, meus queridos.

No meu caso, adoeci de tanto estresse. Então uma dica: controle muito bem os ‘sins’ que você anda dizendo por aí, seja seletivo para o seu próprio bem. Ajudar é uma coisa, fazer o trabalho pela pessoa é outra história. Não tenha medo de parecer besta ou mal educado, tenha medo é de adoecer de estresse, isso sim.

 

2 – Seja solícito, mas não esteja sempre disponível

Sabe aquela pessoa que está sempre disponível, pois é, vão fazê-la de gato e sapato como dizemos aqui no Ceará. Ser solícito é estar disposto a ajudar no caso de uma real necessidade, prestar um auxílio, mas estar sempre disponível é deixar de viver a sua vida e cumprir as suas tarefas para viver a vida de outras pessoas.

Ser disponível sempre é não saber dizer não, é se comprometer com metade das pessoas que você conhece, senão com todas e depois ficar murmurando contra Deus que as pessoas só querem se aproveitar de você.

Se você deixou a porta escancarada não reclame do número de pessoas que entraram por ela, porque as pessoas sempre têm necessidades, todos temos, mas algumas são malas sem alça mesmo , então muito cuidado!

3 -A sua carga está pesada, veja o que é realmente seu

Isso me fez lembrar um pequena história que li no livro ‘Como ter o coração de Maria no mundo de Marta, de Joanna Weaver’. Um viajante estava com sua carroça e Deus mandou que levasse três pedras ao cume de um monte.

Ele foi passando por vários vilarejos e como algumas pessoas sabiam que ele estava indo para lá, porque ao ser indagado ele disse o seu destino,  foram pedindo que levasse um pedrinha aqui outra ali e ele foi aceitando.

A primeira coisa que colocaram na carroça realmente não fez muita diferença, mas à medida que as pessoas iam lhe dando mais e mais coisas para carregar, a carga ficou insuportável até  chegar ao ponto dele  reclamar de Deus, dizendo que a carga que Ele lhe dera era pesada demais para carregar.

Deus perguntou para ele: – de quem eram as outras coisas que ele estava carregando e quais eram as que Ele havia ordenado que levasse. Envergonhado, o homem viu que se tivesse levado a própria carga não teria murmurado.

Ele estava fazendo o trabalho de todas aquelas pessoas que deveriam levar as suas próprias cargas. Era dever daquelas pessoas fazer aquele trabalho, mas arrumaram um besta para fazer por eles.

4 -Mas a Bíblia não diz que devemos levar as cargas uns dos outros?

Mas aí você pode me questionar, mas A Bíblia não nos orienta a levarmos a carga um dos outros? Sim mas não diz que devemos carregar o fardo de todo mundo. E o princípio do versículo bíblico é de ajuda mútua.

Você ajuda levando a carga de um irmão  e também é ajudado, mesmo que a natureza da ajuda seja diferente. Há uma reciprocidade. Não é sábio carregar a vida dos outros nas costas quando você não aprendeu a levar nem a sua, mas também não é agradável a Deus desprezar o sofrimento e a necessidade de quem quer que seja se você puder ajudar, mas às vezes, é necessário dizer não, afinal não podemos ajudar a todos.

Não queira levar a carga de todo mundo. Esteja forte para ajudar espiritualmente para ajudar quem precisa de ajuda espiritual, do contrário, ambos cairão.

Cristo carregou a nossa carga de pecado, não podemos ser indiferentes às pessoas, mas também não devemos ser escravas delas. É impossível ajudar a todos, mas é possível levar um pouco de carga, contudo é necessário conseguir carregá-la e fazer isso de bom grado, sem murmuração.Por isso veja bem antes de dizer sim a todos, antes de querer ajudar a todo mundo, para o seu próprio bem podere a liberação de ‘sims’ e consulte sempre a Deus pedindo sabedoria antes de se envolver numa trabalho, tarefa ou compromisso.

Depois que seu coração estiver calmo e você certo de que que realmente tem condições de fazer o que se comprometeu a fazer aí sim, faça, mas não espere gratidão, pois quase sempre irá se decepcionar,  espere apenas a aprovação de Deus e não esqueça de ser grato a Deus e grato às pessoas que ajudaram você. Promova uma corrente do bem, mas promova com sabedoria.

Conclusão

Você não precisa agradar a todos, não precisa ser o bonzinho da turma, mas também não deve ser indiferente. A melhor maneira de saber quando dizer sim e quando cortar certos privilégios que damos a alguma pessoas é simplesmente orando, buscando a Deus e examinando a nós mesmos.

Não atribua para sim uma carga tão pesada, carregando os problemas alheios se você ainda não alcançou maturidade para resolver nem os seus. Peça a Deus que solucione o que não está ao seu alcance dissolver, mas se puder ajudar, não deixe de estender a mão, contudo analise bem antes dizer um sim e comprometer-se com quem quer que seja , principalmente se você carrega o nome de Cristo.

Quando alguém que não confessa esse nome tropeça parece que ninguém lhe atira pedras, mas se for cristão evangélico, protestante, as pedras vêm com a estampa: “e ainda se diz crente” … é duro meus irmãos. Mas se deixarmos Deus guiar o barco ele seguirá seguro sem afundar, mas se quisermos salvar a todos, provavelmente afundaremos todos, porque não somos Deus, temos nossos limites. Peçamos sabedoria a Deus antes de distribuir nossos “sins” e ele nos dirá o que fazer.

Tenham um dia abençoado, cheio da graça de Deus

Palavra do dia: E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada. Tiago 1:5

 

 

14 Comments

  • Reply Isabel Borgert maio 30, 2016 at 9:17 am

    Sempre em toda minha vida fui extremamente humilde para com meus semelhantes
    para mim isso é normal visto que meu semelhante tem lugar de destaque na minha vida.
    Porem chega um momento que você ou sobrevive ou como voce bem colocou ficamos doente.
    Então me rebelo contra isso, certas pessoas acham que pisando nos outros é que se destacam entre as outras.
    Isso é lamentável, , estou progredindo neste quesito e jurei a mim mesma: ninguém mais vai se folgar comigo.
    Tenho atravessado momentos difíceis, por causa disto mas optei por seguir outros caminhos com certeza Deus estará comigo.
    Beijos minha querida sucesso sempre e uma semana cheia de paz.

    • Reply Daniele Leite maio 31, 2016 at 12:28 am

      Eu já senti na pele muitas vezes essa coisa de ser feita de boba por certas pessoas. Aqui no Ceará dizemos que são pessoas que quando damos o pé querem a mão, ou seja, é quase como um parasita mesmo, quer tudo o que você tem, inveja o pouco que você tem , mas não faz nada pra mudar e ainda te manipula. Também cansei.
      Que Deus esteja com você te dando sabedoria e a mim também.
      Muito sucesso e uma ótima semana, cheia da graça de Deus!

  • Reply Gabriele maio 31, 2016 at 3:57 pm

    Dani, obrigada por esse post. Eu precisava ouvir isso! Algumas pessoas costumam dizer que minha “bondade” faz com que alguns me façam de boba. Temos que ter sabedoria pra dizer sim e não. Querer ajudar todos ainda que com as melhores das intenções pode nos prejudicar e muito, aprendi da pior forma … Um beijo, Deus abençoe <3

    • Reply Daniele Leite maio 31, 2016 at 4:23 pm

      Sabe Gabi, eu já passei por cada uma me sentindo culpada por não ajudar alguma pessoas que estavam em situação digamos assim pior que a minha, mas quando fui ver a pessoas só queria se aproveitar mesmo a ponto de invejar minhas coisas, meu trabalho e olha que meu trabalho é bem dureza (trabalho numa escola pública) e eu ajudando ajudando até que veio a rasteira e isso já aconteceu muitas vezes pq parece que essa coisa de ser legal demais atrai gente mala. Fui orar e pedir a Deus sabedoria para fazer o que é agradável a Ele, mas com discernimento. Não podemos ser radicais e termos o coração duro, mas tb devemos saber a hora de dizer não.
      Deus te abençoe!!
      Bjos!!

  • Reply Cosme junho 3, 2016 at 1:43 am

    Boa Noite Dani.

    Sou Cosme e encontrei seu blog através do blog ALEXANDRIA. Qual não foi minha surpresa quando li justamente esse texto e simplesmente me apaixonei por ele. Passei por uma situação semelhante e a forma como você escreve, bem próxima do leitor, me faz relembrar, como se fosse ontem, dos meus tempos de colégio.

    Obrigado por essa lembrança e essa leitura tão agradável.

    Abraços

    • Reply Daniele Leite junho 3, 2016 at 2:08 pm

      Eu que agradeço Cosme. Fico muto feliz que tenha gostado desse texto!! Abraço!!

  • Reply Alberto Cruz setembro 16, 2016 at 3:59 pm

    OI!!
    me enquadro e posso ser ate eleito PRESIDENTE DOS BESTAS vejo uma problema absorvo e já vira meu, quando vejo estou totalmente envolvido no final sempre quebro a cara digo nunca mais…
    Dia novo vida nova novo problema o BESTA AQUI APARECE

    • Reply Daniele Leite setembro 16, 2016 at 5:41 pm

      Eu também já fiz papel de idiota muitas vezes. É difícil distinguir os aproveitadores, mas uma hora a gente cansa de ser besta ou então enlouquece, não dá pra viver num jugo tão desigual. Ajudar é diferente de se deixar ser explorado e fazer papel de trouxa.

  • Reply chris janeiro 21, 2017 at 1:52 pm

    Que texto lindo! Parabéns!

  • Reply Edna janeiro 21, 2017 at 9:48 pm

    Bom Noite. Achei o texto proveitoso. Não imaginava que havia tantas pessoas iguais a mim!.Sabe sempre fui muito esforçada no trabalho, nunca disse não há ninguém, fazia meu trabalho e dos outros até o dia que sofri um acidente no trabalho e peguei 60 dias de licença. Sabe o que aconteceu? Ficaram com raiva de mim e me ignoraram como se eu tivera provocado o acidente. Me senti culpada por me acidentar. Só então descobri porque gostavam de mim.

    • Reply Daniele Leite janeiro 22, 2017 at 3:12 pm

      Infelizmente é assim Edna, algumas pessoas nos tratam como coisas. Não podemos deixar de ser prestativas, mas devemos estabelecer limites, pois do contrário as pessoas nos usam. Eu já vi vários exemplos de pessoas que faziam tudo por todo mundo no meu local de trabalho e quando tiveram que sair, pois eram temporárias, foram esquecidas completamente. Inclusive algumas dessas pessoas vieram me relatar do ocorrido. Elas só eram amadas e benquistas enquanto tinham algo a oferecer. Nós podemos criar monstros ou amigos, é preferível criar amigos. Não devemos deixar de ajudar, só não podemos é deixar que nos façam de idiotas.

  • Reply clayton maio 27, 2017 at 6:11 pm

    Boa tarde Daniele me chamo Clayton tenho 37 anos , sempre fui solidário com todos que precisavam de mim e que estavam a minha volta, sempre ajudava da melhor forma possível, e eu sempre dizia sim ,nunca dizia não, sempre dava um jeito de ajudar de todas as formas que você possa imaginar, e teve um curto período que não pude estar mais presente devido a outros projetos que eu queria alcançar e que todos nós creio que temos, mas ai que veio a surpresa, a curto prazo desse meu afastamento já vi a diferença , algo negativo que se via no olhar, sorriso de lado ai pensei comigo más eu não fiz nada! só estou sem tempo por isso não estou tão presente entre os parentes e amigos e não posso mais ajudar como antes devido ao meu novo projeto… então foi ai que percebi que o sorriso escancarado que eu via, os abraços que eu ganhava e tapas nas costas eram de total interesse, fiquei muito mal, muito chateado mesmo, ao ponto de chorar comigo mesmo no meu canto e inconformado que existiam pessoas assim , que só querem, querem, más quando você cria asas pra voar alto e quando você começa a fazer a diferença as pessoas ao redor ao invés de aplaudir, não, simples e friamente te jogam um balde de água fria e viram as costas hoje por estes motivos tenho até sentimentos presos que não aprendi ainda a solta-los sou até uma pessoa mais rígida , más chega de ser bobo, cansei ! é como li no seu post aprendi a dizer não . hoje sou bom , más não sou mais bobo.

    • Reply Daniele Leite maio 29, 2017 at 1:56 pm

      Eu também já perdi as contas de quantas vezes fiz papel de boba e o pior fui iludida mesmo achando que tinha amigas, mas na verdade o único interesse era que fosse menina de recados, que fizesse favores, enfim servisse. Não nada de errado em servir, mas é diferente de ser sugado e maltratado.
      Quando eu comecei a dizer não foi mágico e vi quem realmente estava comigo de verdade por mim mesma e não pelo o que eu podia doar ou fazer. Reduzi minha lista de amigos confiáveis, mas graças a Deus me livrei de gente má e aproveitadora.

    Deixe aqui o seu comentário e se tiver um blog deixe também o link para eu poder visitá-lo.