Uma -certeza

Um pequeno ensaio sobre a rejeição: memórias e conselhos

Um pequeno ensaio sobre a rejeição: memórias e conselhos

Esses dias me peguei pensando na palavra rejeição, acredito eu pelo fato de já ter sido rejeitada algumas vezes na minha vida e não ter sabido lidar muito bem com isso.

A primeira rejeição, o primeiro choro

A primeira rejeição

A primeira rejeição da qual me recordo foi ainda na infância. Era o mês de comemorar os aniversariantes do trimestre. Eu nem sempre fui acanhada na escola, mas dessa vez eu estava porque não tinha mais as coleguinhas da série anterior comigo.

Eu havia pulado de série antes de completar o ano e não fiz amigas. As meninas já eram bem maiores que eu e estavam interessadas em outras coisas. Eu tinha sete anos, estava na segunda série e no dia em que deveriam comemorar meu aniversário junto com as outras crianças, eu fiquei na janela da sala de aula, olhando para o tempo, querendo criar coragem e ir lá para me enturmar, mas não vislumbrando nenhum olhar amigável que me convidasse a fazê-lo.

Beberam meu refrigerante

beberam-meu-refrigerante

 

Para piorar as coisas eu tinha levado uma garrafa de guaraná , daquelas de vidro e uma menina malvada a bebeu e depois disse que não sabia que era minha. A professora não fez nada com sempre.

Quem resolveu tudo depois foi minha mãe quando eu cheguei em casa chorando não por causa do refrigerante, mas conta de não ter sido aceita no grupo e  de não ver nenhum esforço de ninguém, muito menos da professora da sala para me enturmar.

Eu apenas uma criança de 7 anos, mas já estava provando de um sentimento que é duro inclusive para os adultos: a rejeição. Eu não sabia como lidar com aquilo, a minha única defesa era chorar, como toda criança.

Mais rejeições, mais aprendizado

rejeição-amor

De lá para cá passei por ouras rejeições. Entre entrevistas de empregos e namoros malsucedidos, vivi mais episódios de rejeição. Mas aos poucos Deus me ensinou na pessoa de Cristo como enfrentá-los.

Assim como aquela criança de 7 anos o choro não foi inevitável, mas agora eu tinha uma memória. Eu sabia que não adiantava dar lugar à tristeza e tampouco à raiva, mas que era preciso perdoar. Por mais difícil que fosse sofrer o dano eu tinha que tomar essa decisão para o meu bem e também porque Deus em Cristo perdoou muito mais em mim.

De quem eu menos esperava

amigos e rejeição

Se continuei sofrendo rejeição? Bom, por um tempinho eu achei que esse episódios seriam banidos do meu livro, mas não foram. Uma das rejeições mais recentes vieram de quem eu menos esperava. sabe aquele amigo que você tem em alta conta?Que faz um monte de coisas por ele e se alegra com suas vitórias (pequenas ou grandes)?

Pois é, foi só a vitória ser um pouco maior para que eu não tivesse mais serventia, não fosse mais necessária no grupo, ficasse invisível. Por um bom tempo eu fiquei com um isto e deixei a  mágoa e a raiva tomarem conta do meu coração pedi desesperadamente a Deus que me ajudasse a lidar com isso.

Eu não queria sentir raiva

Segurando a raiva

Eu não queria sentir raiva de uma pessoa amiga, mas não poderia obrigar essa pessoa a me querer por perto e tampouco a deixar que fizesse parte de seu novo tempo. Talvez não fosse mais interessante ter-me por perto, talvez eu não mais servisse para os seus propósitos e por mais que você note um tom meio ácido nas minhas palavras agora rsrs… não há outra forma de dizer isso.

Nós temos que aprender que estamos numa época de inversão brutal de valores, mas Cristo permanece o mesmo. O mundo pode nos rejeitar , nos fazer de idiotas, nos quebrar o coração, mas Ele, que sabe o que é ser rejeitado, nos conclama a perdoar, a apagar essas feridas que nos fizeram e que nós permitimos que continuem abertas.

Ele nos quer livres e se para isso tivermos que abrir mãos de pertencer a um grupo, que seja, contanto que nosso coração esteja em paz com Deus.

O que aprendi sobre rejeição? Bom, que todos os dias nós podemos escolher se vamos deixar que alguns “nãos” ou “distanciamentos” roubem a nossa paz ou se vamos continuar em frente, de consciência limpa de que tentamos e mais ainda de que perdoamos a ofensa e resolvemos nos espelhar em Jesus. Ele sabe o que é ser rejeitado:

“Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer, e  como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso”.

Cristo foi rejeitado pelos seus

a-dor-da-rejeição

Cristo foi rejeitado por quem andava ali, dia a dia, passo a passo com Ele. Ele foi rejeitado pelo seu povo, por aqueles que o conheciam e não o receberam. Jesus tinha um propósito nessa terra enquanto estava aqui entre nós e simplesmente não se deixou abater.

Claro, você pode me dizer que não chegamos nem perto de Jesus. Não mesmo, mas temos o Espírito Santo dentro de nós que nos ensina e que Ele deixou como penhor até a sua vinda. Ele nos dirá o que fazer.

Jesus é filho e Deus, mas provou a dor ao se fazer carne e habitar entre nós e entre essas dores estava a dor da rejeição. Para aqueles que lhe fizeram mal Jesus pediu ao Pai que os perdoassem, pois não sabiam o que estavam fazendo.

Segurando a vontade de ir tomar satisfação

Ao sermos rejeitadas por quem quer que seja sempre dá vontade de ir lá saber o porquê. Eu quis fazer isso aos sete anos mas não tive coragem. Eu quis fazer isso no tempo que se chama hoje, mas não foi a coragem que me faltou, foi a ignorância, no sentido de não saber o que se passa no coração dessa outra pessoa.

Eu poderia acabar julgando mal e agir com injustiça novamente (pois sei que já fiz isso em minha mente), por isso preferi entregar nas mãos de Deus e esvaziar o meu coração. Minha oração é que Deus tire toda raiz de amargura, de raiva, de ressentimento e de qualquer outra coisa ruim que possa querer ter lugar em meu coração. Quero ele feche a brecha da discórdia em minha vida.

Deus é o maior, e Ele me aceita do que jeito que eu sou (isso não significa que eu não precise de melhorias, todos nós precisamos, principalmente os que acham que não) e como posso me entristecer por um mortal tal como eu que me despreza por motivos que desconheço?

Não posso, não devo, não quero isso. Não posso desperdiçar a graça de Deus em minha vida tendo mágoa, ou tristeza por algo que não posso julgar plenamente, porque apenas Deus é capaz de julgamentos justos. Quando fazemos assim ele prepara o terreno para resolver qualquer raiz de amargura. Não podermos querer resolver por nós mesmos. É preciso orar pedindo a Deus sabedoria para pacificar as coisas, primeiro em nós, depois no outro.

Uma certeza

rejeição-reflexões

Apesar de já ter sofrido algumas rejeições na vida, uma certeza eu tenho, Deus nunca me rejeitará. Sendo pobre, rica, fraca ou forte, seu amor por mim nunca diminuirá e Ele já provou isso ao enviar Jesus, ao derramar sua graça em minha vida e ao me ensinar que quem muito foi perdoado, simplesmente deve perdoar.

Guardar mágoa só faz mal para quem o faz por isso da próxima vez que você provar uma rejeição, sossegue o coração com uma boa leitura de Isaías 53 e ore a Deus para extirpar qualquer sentimento ruim do seu coração. Peça a Ele que encha o seu coração com sua paz , peça a Ele que conserte as coisas quebradas, Ele é mestre nessa arte. Grande abraço!

Palavra do dia: Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos. 1 João 4:9

 

8 Comments

  • Reply Isabel Borgert agosto 11, 2017 at 8:27 pm

    Olá
    Este texto revela toda angustia da rejeição, me lembro de duas grandes rejeições na minha vida.
    Quando estava no primário me sentia muito rejeitada pois , me parecia que eu era a mais humilde e pobre da escola.meu pai um lavrador não tinha grana pra comprar livros nem uniforme e me lembro que me envergonhava quando o diretor me chamava e eu ja sabia que era para doar os livros e o vale pra pegar o uniforme na loja designada pela escola ( peguei ódio da sainha azul plissada e a blusa branca de tecido “volta ao mundo” ahaha era uma volta na minha cabeça. Outra situação : meu filho estudava numa escola particular onde só tinha “ricos ” um dia sumiu um material na sala de aula e meu filho com 8 aninhos se queixou pra mim que estavam olhando atravessado pra ele ( que no caso era o “pobrinho” da escola. Virei num bicho e fui na escola sabe o que a pedagoga disse? AH mãe a gente ja descobriu, foi um aluna problemática que é adotada que pegou e tem costume de pegar coisas dos outros .Imagine se isso é razão pra pensar mal do meu filho.Sofri muito pelo meu filho.A rejeição a exclusão são coisas horríveis deploráveis. Só Deus na causa..
    Texto perfeito.
    Bjs bom finde,
    Isa

    • Reply Daniele Leite agosto 16, 2017 at 12:19 pm

      São situações complicadas sim e precisamos pedir muita sabedoria a Deus para não meter os pés pelas mãos na hora de querer resolver por conta própria. Eu gosto sempre de dar um tempo para avaliar minhas emoções. Oro pelo assunto e peço a Deus que conserte as coisas. Ela proporciona as melhores oportunidades. Devemos procurar ser pacificadores sempre, mas isso não acontece quando ainda há guerra dentro de nós.
      Fico feliz que tenha gostado do texto Isa. Grande abraço!

  • Reply Cleidi Alkimim agosto 14, 2017 at 1:41 pm

    Nossa que texto maravilhoso! Me identifico com as suas experiencias. E é lindo saber que Jesus conhece todos os nossos sentimentos e nos entende.
    Amo seus posts! Deus continue abençoando.

    • Reply Daniele Leite agosto 15, 2017 at 1:21 pm

      Que bom que gostou Cleidi. Graças a Jesus somos consolados! Deus a abençoe!Bjs!

  • Reply Natasha Arruda agosto 15, 2017 at 4:23 pm

    Amei o seu texto, mas ainda falta um passo, se preparar para falar com a pessoa que te magoou, ainda mais porque você o chama de amigo, não sei se já fez, mas ore para que o Espírito Santo lhe ajude nessa atitude. Isso é bíblico.

    • Reply Daniele Leite agosto 16, 2017 at 12:01 pm

      Sim, claro, quando escrevi o texto não quis traçar um conjunto de regras ou algo parecido para lidar com a rejeição. Compartilhei algumas poucas experiências, como lidei com elas na infância, na fase adulta (agora) e quando afirmo, no final do post: “Peça a Ele que encha o seu coração com sua paz , peça a Ele que conserte as coisas quebradas, Ele é mestre nessa arte.” Refiro-me justamente a isso. A palavra “peça” está intimamente ligada ao ato de orar. Deus cria as oportunidades perfeitas para a reconciliação. Não devemos apressar as coisas. Tenho orado por isso sim e vejo a mão de Deus trabalhando em pequenos detalhes.
      Pelo que vi fui muito sutil em falar dessa parte no meu texto, acredito que ficou implícito demais. Obrigada pelo conselho Natasha.
      Abraço!

  • Reply Elisa setembro 18, 2017 at 8:58 pm

    Nossa eu entrei sem querer no Gmail e vi seu pôster eu me indentifiquei tanto com ele ainda agora que estou passando por uma situação tão difícil na minha vida separação e meu esposo está me rejeitando falando com uma mulher brasileira na internet ela sabe que ele e casado .estou muito tristes e minha filha também

    • Reply Daniele Leite setembro 24, 2017 at 1:43 pm

      Peço que Deus possa resolver essa situação. As famílias são um alvo constante do inimigo. Devemos orar todos o dias para Deus preservar nossas famílias. Que bom que o meu post ajudou você de alguma forma, mas roguemos a Deus que Ele possa reverter a sua situação e restaurar a sua família. Grande abraço!

    Deixe aqui o seu comentário e se tiver um blog deixe também o link para eu poder visitá-lo.