mulher e compras

A cultura do consumo e do descarte

Share

A cultura do consumo e do descarte

Quando fiz minha especialização em Educação Ambiental  e Sustentabilidade, ampliei minha visão sobre o consumo e aprofundei os meus conhecimentos sobre a importância de se educar ambientalmente.

Vivemos a cultura do descarte, e isso não se dá apenas com as coisas que compramos e consumimos, infelizmente, a cultura do descarte atinge também forma como nos relacionamos, além de descartamos coisas, lugares e hábitos, aprendemos a infeliz arte de descartar pessoas.

O consumo exagerado de coisas

Eu nem sempre fui uma pessoa regrada quando o assunto é consumo. Já fui a louca que compra seis pares de sapatos de uma vez só e depois se arrepende porque nem sabe como vai usá-los.

Até eu perceber que estava agindo como uma pessoa sem sabedoria, gastando o que eu não tinha para impressionar quem eu não conhecia, demorou alguns anos.

Passado o deslumbre do primeiro salário eu vi que vale muito mais a pena comprar poucas coisas e que sejam de ótima qualidade do que encher o armário de roupas e sapatos baratos  que só servem para nos fazer perder tempo na hora de escolher o que vestir.

Como fazer o descarte de coisas

Quem nunca conheceu um acumulador? Eu já e vou dizer que é tenso e eu quase cheguei nesse ponto rs. Sabe o que é chegar a uma casa e ver um monte de tralhas que não mais funcionam, que não são utilizadas mas que ainda assim não são descartadas? Pois é, o que essa descrição sugere a você como imagem? Bom, eu vejo um lixão.

  1. Se você não usa um determinado objeto, doe ou venda.  Se tal objeto está quebrado e tem conserto, conserte, do contrário , descarte, mas não acumule.

Como saber o que descartar?

Para saber se algo é realmente importante, basta ver quantas vezes você precisou daquele item em seis meses, se estiver encostado há mais tempo que isso e não tiver valor sentimental, descarte, doe ou envie para um museu hehe

Eu gosto de fazer bazares pela internet. É uma boa forma de manter o armário organizado e recuperar parte do que gastei com roupas, calçados ou quaisquer outros itens.

Não trate as pessoas como coisas, não as descarte

Eu sou uma observadora de carteirinha. Amo analisar o meu comportamento e o comportamento das pessoas ao meu redor. Não faço isso para criticar, embora , às vezes, eu o faça em minha mente . Mas faço isso principalmente para aprender.

Os amigos da conversa “eu preciso”

Uma coisa que aprendi é que alguns amigos só te procuram quando precisam. Quando eu posso eu ajudo, também aprendi a conviver com isso numa boa.

Mas também compreendi que devo valorizar aqueles amigos que estão sempre por perto, que enviam uma mensagem para saber se você está bem, que realmente conhecem você porque convivem e não são apenas um contato no smartphone para momentos de socorro, embora os amigos, claro, devam fazer isso também: socorrer.

A amizade de seriado americano

No mundo em que estamos hoje está cada vez mais difícil encontrarmos amigos que se interessem pelas nossas vidas de fato. É difícil encontrar aquela amizade de seriado americano que dura a vida toda.

Isso se dá pelo fato de algumas pessoas considerarem seu semelhantes como algo descartável, algo que você pode consumir e quando não precisar mais deixar em segundo plano, jogar no fundo de um armário e lembrar que existe apenas na hora em que precisar.

Os nossos relacionamentos

Não vamos deixar que a cultura do consumo afete os nossos relacionamentos verdadeiros. Saibamos organizar a nossa agenda para priorizar aqueles que amamos e que nos amam. Quanto aos demais , sejamos solícitos, misericordiosos, mas não façamos papel de besta.

Ser bom não é ser besta

Como disse numa postagem que  escrevi anteriormente aqui no blog: ser bom não é ser besta e tem horas que a gente deve saber cortar as asas de gente aproveitadora e termos muito cuidado para não nos tornarmos aproveitadores também.

Já há mesquinharia e egoísmo demais no mundo, vamos ser diferentes, vamos tratar as pessoas como pessoas e aquelas que nos tratam como coisas, eduquemo-nas a fim de entenderem que somos seres humanos.

Aquela frase tão clichê : ” Mais amor, por favor”, nunca foi tão necessária.

Palavra do dia: Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios,Remindo o tempo; porquanto os dias são maus. Efésios 5:15,16

4 Comments

  • Reply Gabriele julho 28, 2016 at 2:55 pm

    Mais amor, por favor! Nunca foi tão necessária 🙁

    Que atire a primeira pedra quem nunca comprou sapatos por impulso e depois não tinha roupas para usar com ele! Eu te entendo! hhahahahahah

    Ótimo post Dani, excelente tema!!!

    Beijão! ♥

    • Reply Daniele Leite julho 28, 2016 at 3:11 pm

      Obrigada Gabi!! Fico feliz que me compreenda rsrsr!!!
      Bjo!!

  • Reply Princesas Do Rei julho 29, 2016 at 1:33 am

    Que post lindo! Realmente é tão dificil encontrar amigos de seriados americanos!
    O “descarte” tem se tornado algo tão comum… mas é bom refletirmos sobre nossas atitudes!
    Há coisas que são necessárias descartar, mas pessoas JAMAIS! Amamos o texto!
    Beijos princesa!

    • Reply Daniele Leite julho 29, 2016 at 2:55 pm

      Pessoas são pessoas, coisas são coisas, mas para alguns não, é tudo igual e isso é triste!!!
      Bjos meninas!!!

    Deixe aqui o seu comentário e se tiver um blog deixe também o link para eu poder visitá-lo.