A DIFÍCIL TAREFA DE ESCOLHER UMA PROFISSÃO

Share

A DIFÍCIL TAREFA DE ESCOLHER UMA PROFISSÃO

Meninas , minha história acadêmica é um verdadeiro exemplo a não ser seguido. Eu tenho 34 anos e já passei por quatro cursos universitários diferentes e tudo isso para tentar descobri o que realmente amo de verdade fazer. Estou no quinto curso, mas calma só terminei um, do contrário eu deveria ter uns…sei lá 100 anos né? rsrs

A Dúvida cruel

Eu estava numa dúvida cruel, inscrevi-me para Letras na UFC (Universidade Federal do Ceará) para Computação na UECE (Universidade Estadual do Ceará). Passei nas duas fases da UFC para Letras e fui cursar. Na UECE fiquei no classificáveis. Eu tinha 16 anos e era a garota mais confusa do planeta.

Eu gostava de Ciência, de Artes, de Música, de Matemática, detestava Química Geral, mas amava Físico-Química , Literatura… Era muito difícil para mim realmente saber se era isso que eu ia querer fazer para o  resto da vida.  Durante o tempo de faculdade eu não me aquietava.

A louca das bibliotecas da UFC

Fiz fichas em todas as bibliotecas da universidade e ficava pegando livro de tudo o quanto era lugar para tentar ver algo que se encaixasse mais comigo. O tempo foi passando e terminei Letras e só havia , na época , uma única saída rápida para quem terminava o curso: ensinar.

Fui dar aulas num curso de idiomas, pois terminei Letras Espanhol, mas não estava muito feliz com a profissão, pois pagava muito pouco e o trabalho era imenso.

E você mudaria alguma coisa? Não teria feito Letras?

Não mudaria, só acrescentaria. Talvez eu tivesse me esforçado mais para poder cursar as duas faculdades. As pessoas que conheci em todos os meus anos de curso e tudo o que construir foram muito importantes para mim. Hoje eu vejo que Deus sabia exatamente o que estava fazendo.

A gramática é algo sensacional, Literatura também. É um curso lindo, mas infelizmente ninguém valoriza quem termina Letras. O próprio curso é visto com desdém pela maioria, tanto que quando disse para o que tinha passado tive que ouvir a seguinte frase: – tão inteligente e vai fazer Letras? Aquilo me doeu profundamente.

E quais foram os cursos pelos quais você passou?

Gente, vocês perceberam que eu estou entrevistando a mim mesma né? rsrs Acho que vou mudar o nome do post para autoentrevista rsrs

Ao terminar Letras tentei fazer Design de Interiores e só consegui permanecer um semestre. Não gostei do curso. Era muito técnico e pouco prático e não via futuro nele. Eu havia terminado a faculdade e não conseguia decidir o que fazer.

O trabalho mais fácil era dar aulas, mas em escolas particulares eu ouvia meus colegas sofrendo humilhações tanto de gestores quanto de alunos.Eu sabia que era assim pois havia estudado em uma escola particular e meus professores contavam o que a coordenação fazia com eles. O jeito era esperar um concurso e até lá estudar ou procurar fazer alguma outra coisa para ganhar dinheiro.

O segundo curso foi Fisioterapia. Ainda fiquei por cinco semestres, mas tive que abandonar porque passei no concurso para professora do Estado do Ceará e não dava para levar uma faculdade semi-integral com um trabalho integral. Mas esse é um curso que tenho saudade, aprendi muito por lá e fiz algumas amizades bacanas, poucas, mas de valor.

Então você é professora…

Pois é gente, sou professora. É uma profissão que deveria ser prestigiada, mas não é o que ocorre, exceto se você se tornar professor universitário mas ainda assim o estigma do ‘professor’ permanece. No nosso país não valoriza o profissional professor.

Os primeiros anos com professora não foram exatamente o que eu pensava. Trabalhei  num curso de idiomas, como falei no início da postagem. Lá o ambiente era muito bom, mas pagava pouco.

Então decidi esperar por um concurso, porque na escola particular ou praticamente em todos os estabelecimentos que ouvia falar relacionados ao ensino regular, professor não era gente, era humilhado, por alunos e por gestores.

A ilusão da escola pública

Achei que passando num não haveriam as tais humilhações por parte dos gestores ( pois a escola era pública, todo mundo concursado tal e tal…), mas eu estava enganada.

Parece que professor adora pisar em professor. Muitos, não todos, quando assumem coordenações e direções passam a se achar melhores que os colegas de profissão e descontam as suas frustrações nos professores.

Há ainda a pressão das secretarias, que trituram os gestores por resultados e esses muitas vezes, não sabem dividir a dor com os colegas e acabam transferindo de forma autoritária as deliberações das secretarias, ocasionando um clima meio pesado no trabalho.

A escola em que eu trabalho é tranquila, mas já ouvi cada absurdo que nem vale a pena comentar e já passei também por lugares dos quais desejos distância.

Sobre ensinar

Sempre gostei de ensinar. Aos 12 anos coloquei uma escola na minha casa , mas eu cobrava muito caro as as mães dos alunos começaram a reclamar, ainda assim conseguir permanecer com alguns alunos.

O nome da Escola era Escolinha Moranguinho. Eu fiz cartazes temáticos, criei planos de aula, tudo do jeito que eu achava que devia ser, com brincadeiras e estudos.

Paixão por empreender desde cedo

Quando olho para trás vi que sempre fui empreendedora. Um dos meus primeiros negócios foi vendas de cartões de celebridades rsrs. Eu pedia para minha mãe comprar no centro da cidade e eu revendia para as amigas e coleguinhas da escola. Nessa época eu tinha uns oito anos.

Tempos depois me vi com um kit de manicure tentando pintar as unhas das amigas para ganhar dinheiro. Reutilizei uma caixinha de isopor de um eletrodoméstico que minha mãe havia comprado e pus esmaltes e utensílios que pedi pra mamãe comprar e consegui por um tempo também manter o meu pequeno empreendimento.Tenho outras histórias, mas daria um post inteiro, então eu compartilho depois hehe

Voltar a estudar para mudar

Trabalhar como professora numa escola pública não deveria ser ruim, se pudéssemos fazê-lo, mas perde-se muito tempo controlando a sala.

O ambiente, as ocorrências, a falta de organização do sistema e o excesso de trabalho começaram a me adoecer e eu resolvi, depois de três anos e um licença psiquiátrica por esgotamento emocional e físico, voltar a estudar para tentar mudar.

A paixão pelo empreendedorismo me fez começar um curso de Administração na UFC, com o qual me decepcionei. O que menos vemos lá é empreendedorismo. É só teoria chata e pouca prática. Fiquei apenas um semestre e acabei mudando de curso, graças a Deus deu certo.

Oração e ação

Depois da decepção com Administração, fui orar e pedir a Deus de novo que me desse direção. Então olhei para trás e vi todo o conhecimento que havia acumulado, o quanto eu gostava de escrever, que já tinha feito vários blogs e amava mexer com mídias sociais, amava mudar a cara dos meus blogs bagunçando todo os códigos HTML e CSS deles e isso era tão bom que eu não via o tempo passar.

Foi então que eu vi que havia um curso na UFC que não era tão engessado como Ciências da Computação, ( que talvez se eu tivesse conseguido passar nem teria terminado por achar maçante demais) e que reunia tudo o que amava fazer, mídias, comunicação e programação (embora eu nem saiba programar… AINDA rsrs) .

Deu certo entrar, com a graça de Deus e sei que todo o conhecimento que usufrui nos outros cursos me ajudaram a mandar bem no Enem.  Eu agradeço muito a Deus por ter me permitido passar por todos esses lugares. Não lamento, não reclamo, só creio que houve um propósito para tudo isso e fico feliz.

Gratidão

Eu sou muito grata a Deus por isso. Sou muito grata por todo caminho que trilhei, por poder estar contando essa história. Sei que meu exemplo é louco, pois parece que perdi muito tempo, mas é como digo faria Letras de novo, talvez não começasse Design de interiores, mas quando lembro as coisas legais que aprendi sobre História da Arte, sobe Gestalt e sobre o o próprio Design, vejo que eram a minha cara.

Já a Fisioterapia, claro que teria começado sim e quem sabe eu termine esse curso um dia, se Deus permitir, afinal de contas falta pouquinho pra me formar hehe.

Mas … e se?

Mas me pergunto, se eu não tivesse tentado como seria? Eu não teria conhecido as pessoas maravilhosas que conheci, eu teria tomado um rumo totalmente diferente e eu sou feliz como sou hoje.

Se tomei esse rumo foi porque Deus permitiu e por isso é fato que não adianta pensar como seria se minhas escolhas tivessem sido diferentes. Só sei de uma coisa, Deus cuidou de mim, cuida e continuará cuidando.  Há tempo para todas as coisas debaixo do céu, se passei por todos esses lugares Deus tinha um propósito e um dia eu saberei.

Tente e não ligue para opinião alheia

Bom , meninas, essa é parte da minha trajetória acadêmica. Não me importo se me chamam de louca ou algo parecido. Já tive que ouvir muita coisa ruim nessa vida por ser assim, mas puxa a vida, acho que é melhor tentar e quebrar a cara  e tentar de novo, do que ficar se perguntando o que teria acontecido se não o tivesse feito.

Também não adianta olhar para trás e lamentar o que não foi feito, mas sim ver o que já foi feito e aproveitar isso na sua caminhada. Fazer escolhas não é uma tarefa fácil. Hoje eu sei que estou escolhendo com muito mais sabedoria, mas isso porque resolvi confiar a Deus as minhas escolhas.

Depois que fiquei mais dependente dele para fazê-las , muita coisa começou a mudar e eu passei a me conhecer melhor um pouquinho também.

Hoje eu posso definir o que sou e o que gosto de fazer: sou empreendedora, produtora de conteúdo e professora e quero poder ajudar a muitos com as coisas que eu produzir. Com a graça e permissão de Deus conseguirei.

Tenham um dia abençoado, cheio da graça de Deus

Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis.Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
2 Pedro 1:10,11

8 Comments

  • Reply Beto Silva julho 23, 2016 at 11:29 pm

    Grande história! Uma vantagem nessa área que você escolheu é a possibilidade de ser autodidata e aprender muita coisa pela internet.

    Que bom que você conseguiu encontrar o que te deixa feliz!

    Como você comentou que graças a experiência de outros cursos te ajudou a mandar bem no enem, queria compartilhar um post com dicas para quem estudar por contá própria e talvez não tenha sacado muito qual a real ainda.
    http://souautodidata.com/estuda-para-o-enem/como-estudar-em-casa-para-o-enem
    Agradeço a oportunidade!

    • Reply Daniele Leite julho 24, 2016 at 3:32 am

      Obrigada! A maioria dos amigos me chamava de louca, rsrs mas olhando para trás eu vejo que tudo faz sentido.
      Aprendi o que tinha que aprender e creio que as coisas que cruzam nosso caminho tem um propósito.
      Poderia ter sido diferente, mas se fosse não tinha tanta história para contar. Sou grata a Deus.
      Eu que agradeço!!

  • Reply psicologos torrejon de ardoz agosto 10, 2016 at 2:52 pm

    Hace poco he comenzado un sitio web, la información de tu web me proporciona mucha ayuda. Gracias por todo tu tiempo y trabajo.

    Saludos

    • Reply Daniele Leite agosto 12, 2016 at 11:06 pm

      Quedo contenta en saber que mi trabajo de alguna forma te ayuda. Agradezco por la visita!

  • Reply Jorge Oliveira agosto 29, 2016 at 9:59 pm

    Como foi difícil ehhh, Daniele, com sua persistência você conseguiu, parabéns e que você continue tendo muito sucesso na sua carreira.

    • Reply Daniele Leite agosto 30, 2016 at 3:04 pm

      Foi complicado, mas graças a Deus me encontrei!!Obrigada Jorge! Sucesso !

  • Reply Ana Luisa dezembro 27, 2016 at 2:19 am

    Sua história é extraordinária Daniele, me inspirou a começar 2017 com muita persistência. Muito obrigado, principalmente por me abrir os olhos ao que tange a opinião alheia.
    Feliz ano novo!!

    • Reply Daniele Leite dezembro 28, 2016 at 11:39 am

      Eu que agradeço Ana Luisa. Durante muito tempo fiquei preocupada com a opinião dos outros, mas graças a Deus me libertei.
      Feliz Ano Novo!!!!

    Deixe aqui o seu comentário e se tiver um blog deixe também o link para eu poder visitá-lo.